NOTA DE SOLIDARIEDADE À FAG E AOS COLETIVOS CULTURAIS ANARQUISTAS DE PORTO ALEGRE

Foto: Guilherme Santos/Sul21

Por: NOS-RS

Nesta semana vivemos mais uma tentativa de criminalização do movimento social no RS. A Polícia Civil entrou na sede de projetos culturais ligados aos coletivos anarquistas da cidade e apreendeu materiais como garrafas PET, fantasias de carnaval, livros e panfletos sob alegação de serem provas de atentados a bancos, igrejas, carros e delegacias. Prontamente, as redes da mídia gaúcha exibiam fotos da ação criando, em meio ao caos da segurança pública, um novo bode expiatório. A rotina de criminalização se generaliza atingindo também as organizações políticas, mas não é novidade. Em 2013, professores foram presos acusados de crimes que não cometeram. Na greve de 30 de junho deste ano, um professor foi preso enquanto marchava pela rua junto com outros militantes, após desproporcional repressão policial. É urgente denunciar que os assassinos de Elton Brum foram libertados. Que o massacre de Pinheirinho (SJC/SP) nunca foi julgado. É importante lembrar que Rafael Braga segue preso, ainda que em regime domiciliar, mesmo sem provas. A justiça é cega aos crimes dos ricos e empunha espada afiada contra os pobres e os que lutam por um mundo mais justo e solidário. Cabe a nós a solidariedade e a resistência.

Todo apoio aos companheiros da Federação Anarquista Gaúcha!

Todo apoio aos que lutam!

Lutar não é crime!