Catorze mortos em uma festa e “tudo sob controle” segundo o governador do Ceará

Calçados abandonados em meio ao tumulto ocorrido na casa de shows onde a chacina ocorreu. (Foto: Evilázio Bezerra/O Povo)

Nova Organização Socialista – Fortaleza

                                                                                                                                                    Fortaleza amanheceu no último sábado, dia 27/01, registrando a sua mais nova maior chacina de história. Catorze mortos segundo dados oficiais, mais de vinte segundo alguns moradores do bairro Cajazeiras. De acordo com os relatos em torno de quinze homens de uma facção criminosa invadiram a casa noturna Forró do Gago localizada em área sob o comando de uma facção rival e atiraram a esmo atingindo homens, mulheres e crianças.

Do presídio, a facção que teria sido afrontada promete revanche em um prenúncio de mais assassinatos por vir. O secretário de segurança pública do estado por outro lado, afirma que tudo está sob controle, que o episódio não passa de um caso isolado e que chacinas maiores que essa acontecem em todo o mundo inclusive nos Estados Unidos. O governador Camilo Santana (PT), por sua vez, em coletiva neste domingo, 28/01, descontrolou-se ao ser questionado se a segurança no Ceará havia saído ao controle respondendo “Se eu não tivesse o controle, você não estaria andando nas ruas”.

O “controle” a que se refere o senhor Camilo Santana é exatamente o que permitiu que se chegasse a mais uma chacina nos bairros da periferia da capital cearense. Foi exatamente a sua política de segurança pública a que permitiu que o Ceará se tornasse o terceiro estado mais violento do país com a cifra sangrenta de mais de 5000 mortes em 2017, além de ter alcançado o triste título de campeão mundial de assassinatos de adolescentes. Aumentar os efetivos policiais, encarcerar massivamente e criminalizar a juventude e a pobreza tem sido as marcas da gestão do petista que por sua vez são um verdadeiro desastre. Segundo dados do próprio governo o número de mortes provocadas por policiais no Ceará triplicou nos últimos quatro anos e em todo esse período os índices de violência no estado não só não diminuíram como tem aumentado.

Parte desse mesmo ambiente de cultura institucional da violência é a recente política educacional do Ceará que pretende integralizar várias escolas públicas, transformando em problema algo que poderia ser parte da solução, na medida em que não é precedida pela criação de condições propícias para a permanência dos estudantes e que reduz a oferta de vagas escolares. Aliado ao conjunto do descaso com todo o serviço público, o aumento dos índices de desocupação, desemprego e indigência, o futuro que aguarda o cearense é cada vez mais caótico. O “controle” a que se refere o senhor governador é um “descontrole” completo para todos nós.

A Nova Organização Socialista responsabiliza o senhor Camilo Santana por todo o mar de violência a que estamos submetidos ao mesmo tempo que nos solidarizamos com o conjunto das famílias que foram vitimadas neste fim de semana.

Fortaleza, 29 de janeiro de 2018